Conheça o Stopover e a sua utilização nos programas de fidelidade em emissões com milhas

6
PPV-Experience.gif

Neste post iremos explicar no que consiste o stopover, além de falar sobre a sua utilização em diversos programas de fidelidade em emissões com milhas, ou bilhetes prêmio.

Introdução

Inicialmente, relevante destacar que toda a estratégia e benefício que ajude a encontrar disponibilidade é bem-vinda.

E, neste sentido, o stopover poderá ajudar não só na questão da disponibilidade (uma parada intermediária poderá viabilizar a retomada da viagem em outro destino, ou até no mesmo, porém em uma data com assentos prêmios disponíveis para resgate), como também na possibilidade de conhecer um país a mais na sua viagem com emissões com milhas:

Conheça o Stopover e a sua utilização nos programas de fidelidade em emissões com milhas
GCMAP – exemplo de emissão que fiz com stopover em Bali – DPS, pelo programa Miles&Go da TAP.

Passamos, então, a explicar no que consiste a figura do stopover nas emissões com milhas, diferenciando-o de uma mera conexão e escala.

Stopover, Escala e Conexão

O Stopover é um termo em inglês que significa uma parada intermediária na sua viagem superior a 24 horas.

Assim, quando o voo faz uma conexão (quando você sai do avião, ou seja, quando há uma troca de avião – não confundir com a escala, quando você permanece no avião) em alguma cidade intermediária (que não seja o seu destino final), por um período superior a 24 horas, fica caracterizado o stopover.

Exemplo: Voo de Guarulhos para Orlando com conexão no Panamá (GRU-PTY-MCO). Caso a parada na Cidade do Panamá seja superior a 24 horas, estará caracterizado o stopover.

Lembrando que paradas intermediárias inferiores a 24 horas não são consideradas, tecnicamente, stopover, mas sim conexões, que podem ser curtas ou longas.

Usando o Stopover no Resgate de Bilhetes Prêmio

Entre os programas nacionais e internacionais (estes, na sua ampla maioria, menos acessíveis para os brasileiros) que permitem a figura do stopover, podemos, por exemplo, citar alguns, como explicaremos a seguir, sem prejuízo de também mencionarmos outros programas conhecidos que, infelizmente, não permitem nas emissões com milhas:

Aeroplan –  Air Canada

Conheça o Stopover e a sua utilização nos programas de fidelidade em emissões com milhasO excelente e novo programa da cia canadense permite, com exceções de voos dentro do Canadá e Estados Unidos, que nas emissões one-way com milhas seja acrescentado um stopover ao custo de apenas 5k milhas do programa, ou até dois em bilhetes de ida e volta (round-trip), também ao custo de 5k milhas cada.

O ponto negativo ficava por conta da impossibilidade de realizar a emissão com o stopover de forma online, necessitando que seja feita via call-center. Todavia, a contar do início deste mês de setembro, o site do programa passou a permitir as emissões com stopover de forma online, tornando esta opção e o programa em si ainda mais vantajosos.

Lembro, inclusive, que o referido programa é parceiro do programa dos cartões Amex americanos (Membership Rewards) como eu já havia mencionado aqui.

Skywards – Emirates

Conheça o Stopover e a sua utilização nos programas de fidelidade em emissões com milhasO programa da companhia sediada em Dubai permite que mesmo em bilhetes one-way seja feito um stopover em Dubai, desde que o bilhete seja emitido na tarifa “Flex Plus” (esta tarifa é a padrão em resgates de primeira classe, e também nos de classe executiva e econômica quando o resgate é one-way).

O programa da Emirates é acessível também através do programa dos cartões Amex americanos (Membership Rewards), não tendo, assim como o da Air Canada, parceria com os programas de banco brasileiros.

Etihad Guest – Etihad

Conheça o Stopover e a sua utilização nos programas de fidelidade em emissões com milhasO programa da companhia sediada em Abu Dhabi também permite a realização de stopover no seu hub (Abu Dhabi). Infelizmente, para tanto, a emissão do bilhete deve ser feita pela Central (call-center, e não online).

Importante destacar que, normalmente, conexões superiores a oito horas já caracterizam, para o programa, um stopover, e que com algumas (não todas) cias parceiras também é possível solicitar um stopover.

Este programa é acessível tanto através do programa dos cartões Amex americanos (Membership Rewards), como da Livelo, embora nas transferências do programa nacional ocorra um deságio (2×1).

KrisFlyer – Singapore Airlines

Conheça o Stopover e a sua utilização nos programas de fidelidade em emissões com milhasO programa da companhia sediada em Singapura permite a realização de stopover quando você estiver viajando com a Singapore Airlines nas emissões com milhas, porém há algumas regras a cumprir, a depender do tipo de tarifa emitida.

Assim, se a tarifa for Saver, somente é possível a parada intermediária nas emissões ida e volta (round trip). Já se a tarifa for a Advantage, é possível até dois stopovers, ou apenas um, se a emissão for one-way.

Importante destacar que o programa, em razão das recentes alterações, limitou a 30 dias o período de parada no stopover, sob pena de ser considerado duas emissões (e não apenas uma, com uma parada intermediária).

Este programa é acessível tanto através do programa dos cartões Amex americanos (Membership Rewards), como do Membership Rewards “brasileiro”, acessível através do acúmulo de pontos com o cartão Amex expedido pelo banco Santander (sem deságio nas transferências, ou seja, paridade 1×1).

MileagePlus – United Airlines

O programa da cia americana United, não mais permite incluir um stopover nos resgates de bilhetes prêmio.

Todavia, através da figura do “Excursionist Perk”, permite adicionar gratuitamente um segmento (apenas de ida ou volta) em emissões de ida e volta (round-trip), desde que preenchidas certas condições, as quais você pode conferir aqui.

Logo, no final das contas, a opção disponibilizada pelo programa se assemelha à figura do stopover.

Este programa é acessível tanto através dos cartões co-branded (emitidos pelo Chase), como do programa de pontos (Ultimate Rewards) do banco americano Chase, além de, principalmente, através da Livelo, embora nas transferências do programa nacional ocorra um deságio (2×1).

All Nippon Airways Mileage Club – ANA

O programa da excelente cia japonesa integrante da Star Alliance, permite adicionar um stopover em emissões de ida e volta, tanto em voos próprios, como nas parceiras.

A restrição reside apenas em voos com origem no Japão.

Importante registrar que a emissão pode ser feita de forma online, e que o programa possui um bilhete de volta ao mundo (RTW) que permite adicionar até 08 paradas intermediárias (=stopover).

Infelizmente, o programa é acessível apenas através dos cartões Amex americanos (Membership Rewards), ou, ainda, transferindo pontos do programa Marriot Bonvoy, porém com um forte deságio (3×1, embora você venha a ganhar 5k milhas bônus ao transferir 60k pontos).

TAP Miles&Go – TAP Air Portugal

Entre os programas que nós brasileiros temos fácil acesso, o programa Miles&Go da TAP é aquele que, por excelência, permite a adoção do stopover.

O programa da cia portuguesa permite um stopover em bilhetes de ida e volta (round-trip) nas emissões com milhas, não sendo permitida a parada intermediária por mais de 24h nas emissões de voos puros com a própria TAP, tampouco nas emissões one-way.

Interessante destacar que a utilização do stopover é permitida também em voos com as parceiras, não só as integrantes da Star Alliance, mas também as que mantém parceira bilateral com o programa, como Azul e Emirates, por exemplo.

O programa é acessível através de diversos programas de bancos brasileiros, sendo o mais lembrado o da Livelo, embora, desde novembro do ano passado não tenha mais realizado promoções de transferências com bônus com o referido programa, mas apenas, esporadicamente, com os outros parceiros, como o IUPP, por exemplo.

Necessário registrar que não há deságio nas transferências dos programas nacionais para o referido programa (paridade 1×1).

Executive Club – British Airways

O programa da cia britânica não permite, propriamente, um stopover.

Explico: como o programa tarifa por distância e leva em consideração a cabine de voo escolhida, se por acaso você adicionar uma parada superior a 24 horas, a tarifação cobrada será a soma dos dois trechos emitidos.

Portanto, não há um ganho, por assim dizer, ao realizar esta parada intermediária superior a 24 horas.

Contudo, o programa normalmente cobra tarifações mais baixas e razoáveis em trechos curtos, o que deve ser levado em conta na hora de montar os trechos da sua emissão utilizando os avios da sua conta.

Este programa é acessível tanto através do programa dos cartões Amex americanos (Membership Rewards), tendo, inclusive, há poucos meses, promoção com bônus de 40% de transferência, como da Livelo, embora nas transferências ocorra um deságio (2×1).

Iberia Plus – Iberia

O programa da cia espanhola, assim como o BAEC da British, também não permite stopover em razão da tarifação por distância, levando em consideração a cabine de voo escolhida.

Logo, também aqui, não há um ganho, por assim dizer, ao realizar esta parada intermediária superior a 24 horas.

Vale, porém, o mesmo alerta que fizemos acima, no sentido de que o programa normalmente cobra tarifações mais baixas e razoáveis em trechos curtos, o que deve ser levado em conta na hora de montar os trechos da sua emissão utilizando os avios da sua conta.

Este programa é acessível tanto através do programa dos cartões Amex americanos (Membership Rewards), como da Livelo e Esfera, embora nas transferências dos programas de banco nacionais ocorra um deságio (2×1).

AAdvantage – American Airlines

O programa da cia americana não mais permite stopover (a alteração foi feita em 2014).

Nada impede, porém, que você monte as suas emissões respeitando as conexões de até 24 horas, além do número de segmentos permitidos.

Isso a fim de maximizar a sua viagem e poder conhecer, ainda que por poucas horas, algumas cidades a mais na sua viagem.

Este programa é acessível tanto através do programa dos cartões co-branded americanos do Citibank, como daquele expedido no Brasil pelo banco Santander, e tem possibilidade de acúmulo turbinado durantes os meses da promoção bateu-ganhou, como a que, inclusive, está acontecendo atualmente.

Smiles – GOL

O programa da cia área GOL não permite stopover.

Nada obsta, porém, que você faça uma emissão multitrechos. Porém, a tarifação será a mesma se você fizer as emissões separadas. A única vantagem, no caso, é que as duas emissões estarão atreladas a um mesmo localizador.

Desnecessário mencionar a questão da acessibilidade, tendo em vista a facilidade e a grande gama de parceiros e facilidade de acúmulo.

LATAM Pass – LATAM

Conheça o Stopover e a sua utilização nos programas de fidelidade em emissões com milhas

O programa da LATAM, assim como das demais cias nacionais, também não permite stopover, sequer com as suas parceiras cuja emissão ainda é possível com a tabela fixa (Qatar e Delta, por exemplo).

São frequentes os questionamentos relacionados à possibilidade de realizar um stopover quando há uma conexão em Doha, por exemplo, viajando com a Qatar Airways. Porém, reitero, pelas regras do programa não é possível.

Também aqui, é desnecessário mencionar a questão da acessibilidade, tendo em vista a facilidade e a grande gama de parceiros e facilidade de acúmulo.

TudoAzul – AZUL

O programa da cia AZUL também não permite a realização de stopover, sequer com as cias parceiras que disponibilizam resgates de bilhetes prêmio (“award”) via interline.

Também aqui são comuns os questionamentos quanto à possibilidade de realizar um stopover nas emissões com a parceira Turkish e United, por exemplo. Porém, a resposta é negativa.

Novamente, desnecessário mencionar a questão da acessibilidade, tendo em vista a facilidade de acúmulo e a grande gama de parceiros.

Tome Nota

Como visto, é importante conhecer o conceito e utilização do stopover para maximizar o uso das suas milhas e explorar uma quantidade maior de cidades com uma mesma emissão, além de, eventualmente, ajudar na disponibilidade de assentos prêmio (“award”).

Inclusive, mesmo nos programas que não permitem o stopover (como o programa AAdvantage da American Airlines) é possível você montar a sua viagem com paradas intermediárias de até 24h (desde que respeitado o número máximo de segmentos).

Neste caso, não ficará caracterizado o stopover e, mesmo assim, você conseguirá importantes horas para passear por mais um país.

Lembrando, por fim, que as bagagens despachadas no aeroporto de origem, caso você não solicite no check-in no aeroporto, via de regra, somente serão entregues no destino final (e não na parada quando do stopover).

E você, leitor, já conhecia a política e a possibilidade, ou não, de stopover em todos os programas acima citados? Gostaria de citar mais algum?

Ainda, já utilizou o stopover que o programa Miles&Go da TAP permite? Em caso positivo, compartilhe, abaixo, nos comentários, com qual cia e rota.

Para Saber Mais

Para conferir outros artigos e notícias sobre programas de fidelidade, clique aqui.


Que tal nos acompanhar no Instagram para não perder nossas lives e também nos seguir em nosso canal no Telegram?

O Pontos pra Voar pode eventualmente receber comissões em compras realizadas através de alguns dos links e banners dispostos em nosso site, sem que isso tenha qualquer impacto no preço final do produto ou serviço por você adquirido.

Quando publicamos artigos patrocinados, estes são claramente identificados ao longo do texto. Para maiores informações, consulte nossa Política de Privacidade.