Compartilhando Emissões: Volta ao mundo com pontos Iberia Plus, KrisFlyer e AAdvantage – Parte 1

0
Madri. Fonte: Pixabay.
PPV-Experience.gif

Dando sequência à série Compartilhando Emissões aqui no Pontos pra Voar, iremos, no post de hoje, falar sobre uma emissão realizada com milhas pelo leitor Carlos para uma viagem de volta ao mundo em classe executiva e primeira classe, utilizando pontos dos programas Iberia Plus, KrisFlyer e AAdvantage.

Introdução

Inicialmente, recordo que nessa série eu e os demais editores do Pontos pra Voar, além dos leitores (como no presente caso) iremos compartilhar emissões (tanto para voos já realizados, como voos futuros, ainda não realizados) que, nas condições atuais dos programas, são vantajosas.

No post de hoje, começaremos a falar sobre uma emissão realizada com milhas para uma viagem de volta ao mundo em classe executiva e primeira classe, utilizando milhas dos programas Iberia Plus, KrisFlyer e AAdvantage.

Nesta primeira parte mencionaremos os trechos de saída do Brasil até a Europa e de lá até os Estados Unidos.

Relembro que a ideia central desta série de posts é mostrar para você leitor que é possível voar para diversos lugares do mundo, com as milhas acumuladas nos programas nacionais e internacionais, que nós, brasileiros, temos acesso morando aqui no Brasil.

Inclusive, a partir dos relatos do leitor, iremos, ao final, tecer alguns comentários acerca dos destinos, opções de emissões, tarifações e cabines.

Lembro que iremos dividir as emissões do leitor em três partes, sendo que nesta primeira parte serão abordados os voos de saída do Brasil rumo à Europa (Madri-MAD) e de lá rumo aos Estados Unidos (Nova York-JFK).

Passamos, então, ao relato do leitor que, gentilmente, compartilhando as suas emissões, descreveu sobre a primeira parte da sua viagem de volta ao mundo.

Antes, contudo, segue a rota dos voos desta primeira parte traçada no GCMAP:

Compartilhando Emissões: Volta ao mundo combinando Iberia Plus, KrisFlyer e AAdvantage – Parte 1
Rota traçada no GCMAP.

Comprovante das Emissões e Relato do Leitor

Compartilhando Emissões: Volta ao mundo combinando Iberia Plus, KrisFlyer e AAdvantage – Parte 1 Compartilhando Emissões: Volta ao mundo combinando Iberia Plus, KrisFlyer e AAdvantage – Parte 1

A parte mais difícil [da volta ao mundo] era conseguir sair e voltar ao Brasil em cabine executiva, principalmente para os EUA. Neste trecho, Miles&Go, AAdvantage, Skymiles (os três programas nacionais nem merecem ser citados) não tinham nada disponível (no caso dos programas americanos, nos valores fixos. Por valores dinâmicos astronômicos, até seria possível).

 

Para a ida cheguei a pensar em emitir uma passagem pagante da Delta, usando créditos que eu tenho acumulado por benefícios dos cartões Amex, mas acabei pensando em outra solução.

 

Se voo direto para os EUA não tinha vaga, quem sabe não daria para fazer um “leve” desvio pela Europa? Eu já havia feito um desvio ainda maior em fevereiro deste ano, indo para Washington via Dubai, voando na suíte da Emirates e na sua nova cabine “Game Changer”.

 

Novamente, os Avios foram uma ótima solução. Por 76,5k, não tive dificuldade em achar vagas e emitir GRU-MAD-JFK. Mas cometi um erro, por não ter pensado de forma global.

 

O valor das taxas emitindo GRU-MAD-JFK e MAD-GRU ficou maior (acho que uns 300 reais) do que se tivesse feito GRU-MAD-GRU e MAD-JFK (em pontos, tudo igual).

 

Cancelei as emissões e arrumei isso. Os pontos voltaram em torno de uma semana.

Comentários das Emissões

Agora, após o completo relato do leitor, iremos falar um pouco sobre os destinos escolhidos, as opções de emissões acessíveis para nós brasileiros, a tarifa cobrada e a cabine que foi disponibilizada no trecho emitido.

Lembro, desde já, que foram utilizados 42,5k avios (com 37,70 dólares de taxas no total, incluindo o voo de volta, objeto da terceira parte) no trecho de ida do Brasil até Madri, e mais 34k avios de Madri para Nova York (com 146,37 dólares de taxas, aí incluída a taxa de combustível que o programa cobra em voos próprios saindo de outros destinos que não o Brasil).

Os Destinos e as Opções de Emissões

Considerando os destinos que o leitor irá visitar (Madri e Nova York) temos certeza que esta parte inicial da volta ao mundo será excelente.

Como eu já tive a oportunidade de conhecer estas cidades com a minha família, posso afirmar que são dois destinos muito interessantes.

As atrações mais destacadas de Madri são a Puerta del Sol, Plaza Mayor, Parque El Retiro, Puerta del Alcalá, Museus, Palácio Real, a Gran Vía, Templo de Debot, entre outros locais.

Já em Nova York são inúmeras as atrações, podendo destacar as seguintes: passear pelo Central Park, visitar os museus e a Estátua da Liberdade, caminhar pela Times Square e High Line etc.

Em relação às opções de emissões, temos o programa da Iberia Plus que na data da viagem estava tarifando em 42,5k avios, além do programa Miles&Go da TAP, cujos valores variam entre 113k e 181k em classe executiva, porém com pouco disponibilidade, e, quando há, salvo pontuais exceções, a tarifação está “no teto” (181k).

Também poderia ser verificada a disponibilidade com a Air Europa saindo de Guarulhos. Todavia, considerando que o programa da Smiles está cobrando próximo a 170k milhas, a melhor opção foi a escolhida pelo leitor.

Afinal, para que os cerca de 85k Livelo ou Esfera (considerando o deságio 2×1 na transferência do Esfera e Livelo para o programa Iberia Plus) virassem 170k na Smiles seria necessária, além da disponibilidade, uma promoção com bônus de 100%, que não é muito frequente, de modo que não restam dúvidas que a opção escolhida pelo leitor foi a melhor.

Já em relação ao trecho de Madri para Nova York, arrisco dizer que os 34k avios cobrados, apesar da taxa de combustível que incide em trechos que iniciam fora do Brasil, é um dos maiores sweet spots do programa Iberia Plus.

Logo, não restam dúvidas que a opção foi muito acertada.

As Tarifações e as Cabines a Serem Utilizadas

Em termos de tarifações, as cobradas do leitor foram excelentes, considerando o alto custo atual das passagens sobretudo nas rotas do Brasil para a Europa.

Lembro que o leitor utilizou seus avios gerados ainda na época de transferência 1×1 entre o Santander e a Iberia, o que torna o custo da emissão muito tranquilo, representando uma excelente maneira de sair e chegar ao Brasil na sua volta ao mundo.

Ademais, não podemos esquecer da facilidade que é gerar avios através dos programas Esfera e Livelo aqui no Brasil.

Na rota Guarulhos-Madri (GRU-MAD), na cabine em classe executiva, a Iberia vem utilizando um A330-300, com 29 assentos na classe executiva e configuração 1-2-1.

A mesma aeronave e cabine está prevista para a rota Madri-Nova York (MAD-JFK).

Seguem fotos da cabine:

Classe Executiva do A330 da Iberia
Classe Executiva do A330-200 da Iberia entre Madri e San José
Assento na Posição Horizontal com Monitor ao Fundo

Para conhecer e saber mais detalhes desta cabine, recomendo a leitura deste review feito pelo Claudio. 

Emissões de Passagens com Milhas

Caso você esteja planejando fazer emissões de passagens para voar com pontos de qualquer programa de fidelidade e não quer perder tempo no telefone com a central de atendimento, nossa parceira Wanderlust pode fazer esse trabalho para você.

Para tanto, você precisa apenas enviar um email para viagens@wanderlustconcierge.com.br com as datas que você pretende viajar, o número de passageiros e um telefone para contato, que na sequência o time entrará em contato.

As emissões custam a partir de R$ 300 para o primeiro passageiro por trecho (independente de ser uma viagem de ida ou ida e volta). Demais passageiros no mesmo localizador têm o custo de R$ 200 por pessoa.

Tome Nota

Como foi mencionado ao longo deste post, estamos dando continuidade a uma série em que nós, editores do site, buscaremos compartilhar emissões (tanto para voos já realizados, como voos futuros, ainda não realizados, mas que estão na nossa lista) que, mantidas as condições atuais, são vantajosas.

Inclusive, desde o início da série, sempre frisamos que o site está aberto para receber as contribuições dos leitores.

Assim o fazemos com o intuito de mostrar para os demais leitores, sobretudo os iniciantes, que é sim possível voar em classe executiva utilizando as opções que os programas de milhas nacionais e internacionais nos oferecem, com uma expressiva economia frente aos valores cobrados em passagens pagantes.

Desta forma, neste post, compartilhamos a primeira parte de uma emissão de volta ao mundo em classe executiva e primeira classe que o leitor Carlos realizou.

Destacamos a excelente opção utilizada para ir à Europa e de lá ir para os Estados Unidos, aproveitando, a bem dizer, dois sweet spots, sendo o segundo muito interessante pela baixa tarifação cobrada (apenas 34k avios), apesar da moderada taxa de combustível cobrada.

Na sequência desta série iremos falar da segunda parte e terceira partes das emissões do leitor, e desde já registro que envolvem cabines e salas VIP inéditas aqui no site, pelo que recomendo fortemente seguir acompanhando os próximos relatos e emissões que serão compartilhadas.

Agradecemos ao leitor pelo envio do relato e pela excelente emissão envolvendo o programa da Iberia em uma emissão de volta ao mundo, e reitero o convite aos demais leitores deste site a compartilhar suas emissões conosco.

Para tanto, peço que envie um email descrevendo, resumidamente, a sua experiência e os detalhes da sua emissão para o seguinte endereço: info@pontospravoar.com.

E você, leitor, já aproveitou o sweet spot do programa da Iberia Plus voando na cabine em classe executiva de Madri em uma volta ao mundo ou, ao menos, em uma viagem para os Estados Unidos? Compartilhe abaixo, nos comentários, a sua opinião.

Para Saber Mais

Veja mais sobre a série Compartilhando Emissões aqui.


Que tal nos acompanhar no Instagram para não perder nossas lives e também nos seguir em nosso canal no Telegram?

O Pontos pra Voar pode eventualmente receber comissões em compras realizadas através de alguns dos links e banners dispostos em nosso site, sem que isso tenha qualquer impacto no preço final do produto ou serviço por você adquirido.

Quando publicamos artigos patrocinados, estes são claramente identificados ao longo do texto. Para maiores informações, consulte nossa Política de Privacidade.