Os bastidores do transporte das vacinas da covid-19 pelo Brasil

0
Os bastidores do transporte de vacinas da covid-19 pelo Brasil
Foto Créditos: BH Airport

Muito se fala sobre o transporte das vacinas da covid-19 pelo Brasil, que além de garantir a imunidade, até o momento, de parte dos idosos e dos profissionais de saúde da linha de frente, traz esperança para milhões de brasileiros.

Assistimos semanalmente às notícias de entregas nos Estados, com flashes de imagens das vacinas sendo retiradas de aeronaves e, posteriormente, a vacinação ocorrendo na população.

Como o Pontos pra Voar possui, como principal foco, viagens, milhas, aeroportos e destinos, neste artigo apresentamos um pouco dos bastidores, nos aeroportos, do momento da chegada das vacinas contra a covid-19.

Logo, mãos à obra!

Programação do Transporte das Vacinas

As vacinas, atualmente, são ou produzidas localmente em São Paulo ou Rio de Janeiro, ou chegam importadas.

Tão logo são liberadas para distribuição aos Estados, são encaminhadas em caminhões frigoríficos ao aeroportos das capitais paulista e fluminense, com escolta da Polícia Federal. Já nos aeroportos, são mantidas nas geladeiras dos aeródromos, com temperatura apropriada, até o voo de distribuição para os destinos.

Os bastidores do transporte das vacinas da covid-19 pelo Brasil

Cabe ao Ministério da Saúde definir a quantidade de doses que será enviada para cada destino. Esta informação é então passada para as empresas aéreas AZUL, GOL e LATAM,  que se preparam para realizar o transporte de forma gratuita.

Ao mesmo tempo, os aeroportos de destino são informados das quantidades a serem recebidas, qual empresa aérea fará o transporte e quando chegarão as vacinas. De igual forma, as Secretarias Estaduais de Saúde, destinatárias finais das cargas, e a Polícia Federal, responsável pela escolta também são informadas pelo Ministério da Saúde.

Planejamento Local para o Recebimento das Vacinas

Cientes da chegada, todos os envolvidos se planejam, seja para receber as cargas com segurança, e garantir o seu transporte seguro, em caminhões frigoríficos adequados, devidamente escoltados, seja para garantir que a população seja informada de forma satisfatória da chegada, ou seja, garantindo a cobertura jornalística.

Os bastidores do transporte das vacinas da covid-19 pelo Brasil

 

Assim, em relação à atividade jornalística, os aeroportos informam os canais de comunicação a respeito da chegada, seja para difusão jornalística (os jornais locais avisam que chegarão vacinas no dia seguinte e respectivo quantitativo), seja para que haja o planejamento de recebimento da imprensa no aeroporto para cobertura jornalística.

A razão do planejamento de recebimento da imprensa decorre da necessidade de prévio credenciamento dos jornalistas, vez que, quando da chegada da aeronave, acessarão Área Restrita de Segurança, no caso a pista do aeroporto.

As Secretarias de Saúde, comunicadas das chegadas dos voos, informam, tanto à Polícia Federal como ao setor de segurança dos aeroportos, os dados do caminhão frigorífico responsável pelo transporte das vacinas e dos funcionários que participarão do recebimento das mesmas.

A razão para esta comunicação prévia é a mesma do aviso prévio aos jornalistas, ou seja, como haverá entrada em Área Restrita de Segurança do aeroporto, há necessidade de comunicação formal dos dados de quem adentrará na pista, para credenciamento prévio.

Entrada no Sítio Aeroportuário

Chegado o dia do pouso nas capitais dos voos com as doses da vacina, inicialmente chegam ao aeroporto o caminhão frigorífico e os membros indicados pelas Secretarias Estaduais de Saúde.

Os veículos são todos inspecionados pelos serviços de segurança dos aeroportos, garantindo que itens proibidos não adentrem na área de segurança do aeroporto. Além disto, todos os membros nominados previamente pelas Secretarias Estaduais de Saúde são inspecionados em raio-x e pórtico, tal como passageiros o são quando do embarque para voos. Itens proibidos que estiverem portando não são autorizados a adentrar na pista.

Os bastidores do transporte das vacinas da covid-19 pelo Brasil

Autorizada a entrada, o caminhão é levado até o local de pouso da aeronave através do veículo Follow Me dos administradores aeroportuários. Trata-se daquele veículo, em regra amarelo, da área operacional do aeroporto, que guia os demais veículos até sua posição precisa, bem como garantindo a velocidade máxima nas vias de acesso (30 km/h) e nas vias de serviço (20 km/h).

Simultaneamente, os repórteres e membros da imprensa previamente credenciados são inspecionados, mediante equipamentos de raio-x e pórtico, tal como qualquer passageiro, de forma a garantir que não adentrem na Área Restrita de Segurança com algum item proibido.

Inspecionados, são levados pela empresa que administra o aeroporto até uma área devidamente delimitada indicada pela administradora aeroportuária. Esta delimitação destina-se a garantir a segurança dos trabalhadores da imprensa e, também, permitir que realizem a cobertura jornalística.

Por fim, a Polícia Federal também adentra o aeroporto quando da chegada do caminhão frigorífico, buscando preservar a segurança de toda a operação.

Todos posicionados, aguarda-se a chegada dos aviões com a carga que nos traz esperança.

Chegada das Vacinas nos Aeroportos

Com o pouso da aeronave, incialmente é feito o desembarque dos passageiros e suas bagagens. Na sequência, os funcionários responsáveis pelo descarregamento das aeronaves providenciam a retirada das caixas de vacina, colocando-as diretamente nos caminhões frigoríficos.

Dada a baixa temperatura que algumas vacinas exigem, não raras vezes o caminhão é posicionado, excepcionalmente, muito próximo do porão das aeronaves, evitando-se, ao máximo, a exposição à temperatura ambiente. O carregamento dos caminhões é acompanhado dos funcionários indicados pelas Secretarias de Saúde, os quais então coordenam o carregamento da carga de forma segura, para manter sua integridade.

Os bastidores do transporte das vacinas da covid-19 pelo Brasil

Enquanto isto, a imprensa, posicionada previamente na área delimitada, faz seu trabalho jornalístico.

Concluído o descarregamento da aeronave e realizada a conferência da quantidade de volumes entregues, inicia-se a saída do aeroporto e o transporte até os centros de armazenamento e distribuição da vacinas de covid-19.

Para tanto, há o posicionamento do caminhão entre viaturas da Polícia Federal, de forma que seja garantida uma célula de segurança da preciosa carga. O veículo Follow Me os orienta até a saída do aeródromo e, já na via pública, ocorre a escolta da carga até o destino final.

Tome Nota

Esperamos que cenas como estas do transporte de vacinas da covid-19 se tornem cada vez mais constantes em nossos aeroportos, para que em breve possamos voltar a viajar sem restrições!


Que tal nos acompanhar no Instagram para não perder nossas lives e também nos seguir em nosso canal no Telegram?